53 Anual de Arte FAAP abre ao público em 28 de novembro

TEXTO

Comunicação FAAP


FOTOS

Rafayane Carla de Santana Carvalho / FAAP, Fernando Aurelio Silveira / FAAP



DATA


COMPARTILHE



COMPARTILHE

COMPARTILHE

Uma das mais tradicionais mostras coletivas de arte contemporânea do circuito paulista, a 53 Anual de Arte FAAP abre suas portas ao público em 28 de novembro de 2023 no Salão Cultural – MAB FAAP, em Higienópolis, em São Paulo.  

A seleção reúne 44 trabalhos de 31 alunos e alunas do Centro Universitário Armando Alvares Penteado FAAP nas mais variadas linguagens, meios e suportes artísticos. As obras foram selecionadas por uma comissão formada pelos professores Georgia Kyriakakis, Luana Fortes, Marcos Moraes e Thiago Honório, a partir das 173 inscritas pelos estudantes. Os critérios de seleção levam em consideração a qualidade das obras, o caráter experimental, o domínio das linguagens utilizadas e a coerência com os referenciais da contemporaneidade.  

Os alunos e alunas, do Centro Universitário Armando Alvares Penteado FAAP, selecionados são: Ana Mae Kawakami, Ana Luiza Lima Sasaki, Ana Pacheco Gavião, Agnaldo Bauerman Schunck Junior, Beatriz Freitas Fernandes Távora Filgueiras, Carolina Basile Heise, Carolina Sommer Guidotti, Clara Helena Sobieski Tafner, Cora Pereira Hors, Daniela Eorendjian Torrente, Giovanna Freire Ferrante Mussolin, Isabela Martinez Vatavuk, Joana de Fátima Barreto, Juliana Fernandes Berto, Laura Garjulli Agresti, Lev Preiori Serodio Conehero, Luisa Cal Burza, Luiza Corá Buso, Manuela Julian Gontijo Alves Pinto, Marina Schmidt Kehl, Maria Tereza Thomaz Bomfim, Maria Vitória Accorsi Rausch Souto, Miguel Pongitor Galan, Nicole Ribeiro Morsa, Raquel Liberman Lopes, Rayane Gomes Borges, Rodrigo Dishchekenian Lahoud, Samanta Franco Martins, Tarsila Freire D’Abronzo, Tomás Martos Hernandez e Thomas Yassuda Braeckman.  

Realizada pela primeira vez em 1965, a exposição tem por objetivo incentivar, estimular e divulgar a atividade artística como manifestação integradora da visualidade contemporânea, reunindo trabalhos em diferentes linguagens, suportes e materiais, como pinturas, desenhos, vídeos, performances, gravuras, fotografias, tridimensionais e publicações, entre outras formas de práticas e manifestações artísticas, privilegiando um caráter experimental.  

Artistas convidadas  

Esta edição contará com a presença de duas artistas convidadas – Isabella Beneducci e Rafaela Foz – que participaram do programa da Residência Artística FAAP – Paris. O Programa de residência da FAAP seleciona todo semestre estudantes, artistas formados pela instituição ou professores para ocupar o estúdio 1422, que a instituição mantém desde 1997 na Cité Internationale des Arts, uma residência internacional localizada às margens do Rio Sena.  

O conjunto de trabalhos de Isabella Beneducci que integram a sala especial das artistas convidadas reúne desenhos, diários, anotações visuais, registros fotográficos, amuletos e objetos pessoais. “Todos os trabalhos têm em comum um tempo específico, atravessado por episódios políticos e pessoais, como as eleições de 2022 no Brasil ou o momento de partida para a cidade de Paris. Os trabalhos transitam entre a guerra e o cuidado, o grito e o mistério, a irmandade e o inimigo. É também uma exposição-saudação
às forças, presenças
e lutas alicerçadas e conjugadas no feminino”, afirma Isabella.  

Rafaela Foz participou, neste ano, do programa que a Residência Artística FAAP – Paris que a Fundação mantém na Cité Internationale des Arts, em Paris, onde pesquisou a iconografia da mulher que lê, além de investigar essa produção imagética no decorrer da história, como a alfabetização da mulher, sua independência intelectual, a difusão dos romances, entre outros aspectos. Parte da produção resultante da pesquisa será apresentada na sala especial das artistas convidadas da 53 Anual de Arte FAAP. São trabalhos que tomaram forma a partir dessa pesquisa e da experiência de viver, por oito meses na capital francesa. A artista utiliza referências de pinturas dos séculos 17, 18 e 19 para produzir um livro de artista e objetos; utiliza, ainda, fragmentos e cenas de filmes e de arquivos para produzir obras em formatos diversos, como o livro de artista, objeto, colagem e vídeo.  

Além da produção artística das convidadas, serão apresentados materiais processuais documentando a pesquisa desenvolvida pelas artistas ao longo dos seis meses em que estiveram em residência. Essa prática – convite das artistas, ocorre em todas as edições desde 2008, com uma coletiva, e desde 2009, com convidadas duplas (ou individuais em casos especiais).  

Premiação  

Entre os trabalhos selecionados serão distribuídos sete prêmios: três bolsas de estudo de 90%, duas bolsas de estudo de 75% e duas bolsas de estudo de 60%, válidas para o ano seguinte ao da premiação em cursos de graduação, pós-graduação e extensão. Além disso, dentre os premiados, uma comissão indicada pela Fundação, incluindo representante do MAB, escolherá trabalhos que passarão a integrar a coleção do Museu. 

“O Programa de exposição, já que podemos compreendê-lo nessa condição – pela proposta, longevidade e atividades na qual atua – pode ser entendido como forma de privilegiar o potencial experimental, criador e de valorização da diversidade, diretamente conectado com o projeto institucional da Fundação Armando Alvares Penteado como incentivadora e apoiadora da produção artística e cultural”, explica o professor Marcos Moraes, coordenador do curso de Artes Visuais da FAAP e da mostra.  

53 Anual de Arte FAAP  

Período de visitação: de 28 de novembro de 2023 a 17 de março de 2024  
Horário: Segundas, quartas, quintas e sextas das 10h às 18h – última entrada às 17h30 Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h – última entrada às 17h30 
Fechado todas as terças-feiras, mesmo quando feriado.  
Local: Salão Cultural – MAB FAAP (Rua Alagoas, 903 – Higienópolis – São Paulo – SP)
Informações: (11) 3662-7198  

Entrada gratuita  


TEXTO

Comunicação FAAP


FOTOS

Rafayane Carla de Santana Carvalho / FAAP, Fernando Aurelio Silveira / FAAP


DATA


Artes Visuais na FAAP

Inscreva-se

Outras notícias que você também pode gostar

Você está vendo:

Fique por dentro de tudo o que acontece na FAAP


Artes Visuais

Tudo sobre o restauro das obras do Jardim das Esculturas para preservar a arte e a história da FAAP

O MAB FAAP deu início ao importante projeto de restauração e conservação de 12 obras situadas no Jardim das Esculturas e na Praça do Sol. Este trabalho foi conduzido pela restauradora Tatiana Russo, contratada especialmente para garantir a preservação e a integridade dessas obras de arte. As esculturas, expostas às intempéries e às variações climáticas, exigem uma atenção especial para a sua conservação. O processo de restauração é essencial não apenas para a manutenção estética, mas também para garantir a longevidade das obras. A conservadora-restauradora Tatiana Russo nos contou um pouco mais sobre o processo: “O restauro de obras em áreas abertas é completamente diferente de tudo que estudamos sobre restauração de obras em locais fechados. Lidamos com um ambiente zero controle, ou seja, não conseguimos controlar a temperatura, a umidade, a ação de animais e até mesmo o contato do público com a obra. Nos restauros em áreas abertas, procuramos realizar o trabalho nos dias mais secos, evitando a chuva. Por isso, julho acaba sendo o melhor período para isso, além de coincidir com as férias escolares, quando as aulas estão suspensas. Optamos por realizar a pátina às segundas-feiras, já que é um trabalho que envolve o uso de fogo. Sem aulas e sem visitantes no Museu, quanto menos público, melhor.” Tatiana Russo e sua equipe estão realizando um trabalho minucioso, que inclui desde a limpeza e a estabilização das peças até a reparação de possíveis danos estruturais. O acompanhamento e a supervisão detalhada de cada etapa do processo são cruciais para o sucesso do restauro. “Estamos sempre buscando estratégias para realizar um restauro que dure o máximo possível, prevendo a interação com o público e o meio ambiente. Procuramos utilizar materiais que protejam a obra por mais tempo e planejamos ações de manutenção periódica, em conjunto com o pessoal de conservação do MAB”, contou Tatiana. O trabalho inclui a revitalização de pátina, higienização, polimento e pintura, entre outros processos. Após a limpeza, algumas obras recebem uma proteção de cera para garantir a preservação por mais tempo. Tatiana explica: “Nesse caso de obras em áreas externas, uma boa limpeza regular sempre ajuda. Em algumas situações, como no bronze, a aplicação de cera a cada seis meses também contribui para a proteção da pátina e em relação à chuva e outros fatores”. Para a FAAP, a preservação do patrimônio artístico e cultural é fundamental, tanto do ponto de vista pedagógico, como para garantir a longevidade dessas obras com grande valor histórico. As obras são de artistas de extrema importância, como Amilcar de Castro, Bruno Giorgi, Caciporé Torres, Cleber Machado, Franz Weissmann, Maria Guilhermina Gonçalves Fernandes, Nicolas Vlavianos, Sérgio Camargo e Yutaka Toyota. A dedicação de profissionais como Tatiana Russo é essencial para que essas obras continuem a inspirar e enriquecer o ambiente acadêmico e cultural da instituição. Supervisão na contratação e execução: Equipe de Conservação do MAB Coordenação: Tatiana Russo dos Reis Técnico: André Cruz da Silva Assistentes: Giulliana Ziemann Formigari e Daniel Nogueira de Lima Estagiário: Rafa Crepaldi Khouri Jovem aprendiz: Bianca Russo Cruz Coordenação de restauro das esculturas de Yutaka Toyota: Gianni


Na FAAP

Missão Estudantil FAAP Social visita o Quilombo Ivaporunduva 

Visando promover o turismo com propósito ético-cultural, a Missão Estudantil do FAAP Social visitou, no último fim de semana, o Quilombo Ivaporunduva, localizado no município de Eldorado, São Paulo, às margens do Rio Ribeira de Iguape, composto por 110 famílias. Os alunos puderam conhecer de perto práticas e costumes que são tradicionais da comunidade, que presa pela história quilombola no Brasil e a preservação ambiental.  “A Missão Ivaporunduva vem sendo organizada desde fevereiro, cada detalhe da organização foi pensado na imersão de 4 dias que teríamos no quilombo. Preparamos nossos alunos com encontros pré-viagem, com aulas sobre o movimento quilombola e sobre produção e roteiro de documentário”, nos explica Quezia Salvadori, Auxiliar de Responsabilidade Socioambiental que esteve presente em todo o processo da missão.  Por lá, além de levarem doações feitas pela Atlética FAAP, os estudantes também puderam gravar um documentário sobre a Festa de São Pedro, que combina tradições religiosas com uma cultura de mais de 300 anos de história étnico-racial. Quezia complementa “o envolvimento dos alunos entre si e entre os quilombolas, foi incrível! Voltamos para São Paulo com o coração transbordando energias boas, conhecimentos e com um documentário lindo e muito potente”.  Entre as doações está incluso mais de 100 kits de materiais escolares e, livros infantis voltados à causa antirracista, tais como “Amoras” e “E foi assim que eu e a escuridão ficamos amigas” do cantor, poeta e escritor Emicida, “Sinto o que sinto” do ator, diretor e escritor Lázaro Ramos, “Os dengos na moringa de voinha” de Ana Fátima, “O Pequeno Príncipe Preto” de Rodrigo França, “Neguinha, sim” de Renato Gama, entre

Fique por dentro de tudo o que acontece na FAAP

Newsletter