ESTUDO DO NIMD FAAP E DA MINDMINERS REVELA QUE BRASILEIROS CONSIDERAM AS REDES SOCIAIS MENOS CONFIÁVEIS DO QUE OUTROS CANAIS, APESAR DE SEREM AS MAIS UTILIZADAS

CATEGORIA


DATA


COMPARTILHE


Apesar de ganharem o cotidiano dos brasileiros, as redes sociais são consideradas um dos meios menos confiáveis por seus usuários. Eles também concordam que as utilizam por muito mais tempo do que é considerável saudável ou adequado, servindo para estimular um vício e alimentar uma carência. As informações constam no mais novo estudo do Núcleo de Inovação em Mídia Digital da Faculdade Armando Alvares Penteado (NiMD FAAP), desenvolvido em parceria com a empresa de tecnologia MindMiners.

O estudo ouviu 2.500 pessoas que possuem smartphone e seu objetivo foi entender como se dá atualmente a relação das pessoas com as redes sociais, em particular aquelas que já são usuárias assíduas dos meios digitais.

Para isso, o estudo foi dividido em três etapas, cada uma delas com a participação de um grupo de respondentes: foram consideradas mil pessoas para a primeira etapa sobre consumo de informação; mil para a segunda, que buscou compreender como as redes sociais interferem no processo de influência e confiança que o usuário estabelece com diferentes personagens sociais, especialmente os influenciadores digitais; e, por fim, 500 respondentes para a abordagem sobre o comportamento, ou seja, entender como plataformas de redes sociais estão interferindo na sociedade e, inclusive, afetando sua saúde mental.

 

Consumo de informação

 

A pesquisa indica que há, claramente, uma mudança de comportamento de consumo de informação, uma vez que 80% dos respondentes declararam usar as redes sociais para se atualizar em relação às notícias. A plataforma mais utilizada para essa finalidade é o Facebook, seguida por Instagram e Youtube. O Whatsapp, considerada a rede mais popular entre os brasileiros, principalmente para conversas entre amigos, mantém a quarta posição.

 

Confiança no conteúdo

 

Os canais de televisão – abertos ou fechados – ainda são considerados confiáveis ou muito confiáveis por mais de 64% dos usuários. Já as redes sociais são vistas por 52% dos respondentes como pouco ou nada confiáveis.

A pesquisa também buscou identificar a confiança do usuário em relação às notícias compartilhadas: os influenciadores digitais (ou creators) tiveram apenas 17% de indicações como “confiáveis ou muito confiáveis”. Jornalistas / Veículos de Comunicação, ao contrário, obtiveram índice de 58%, atrás apenas de especialistas e técnicos em determinado tema (71%) e professores (62%).

Apesar de a credibilidade ser baixa em relação ao compartilhamento de notícias, os influenciadores ou creators ainda possuem algo valioso para as marcas, que é a proximidade com as pessoas. E isso também vale para os influenciadores digitais artificiais, que são personagens fictícios ou imagens tridimensionais: 47% das pessoas veem espontaneidade nas publicações e afirmam já ter comprado algum produto baseado na opinião deles.

Quando perguntados sobre canais que mais compartilham notícias falsas, o WhatsApp vem em primeiro lugar, com 45%, seguido pelo Facebook, com 33%. Já o Linkedin foi considerado por 43% dos respondentes como a rede social que possui menos notícias falsas compartilhadas.

 

Comportamento

 

Das 500 pessoas pesquisadas, quase a metade (43%) para sua atividade assim que recebe uma notificação do WhatsApp, Facebook ou Instagram. Além disso, 64% concordam parcialmente ou totalmente que logo após publicar algo nas redes checam ao menos uma vez a quantidade de visualizações ou curtidas – e quem as fez.

Desse mesmo universo, 50% concordam parcialmente ou totalmente com a ideia de estarem usando as redes sociais por mais tempo do que consideram saudável ou adequado e 31% se dizem “muito ansiosos”, ao passo que 56% consideram a sociedade atual “muito ansiosa”.

 

O estudo aponta ainda outros dados interessantes:

 

•41% dos respondentes concordam parcialmente ou totalmente que as curtidas, comentários ou visualizações de suas publicações são importantes para eles;

•48% concordam parcialmente ou totalmente que se sentem próximos das pessoas que seguem nas redes, mesmo não as conhecendo pessoalmente;

•16% dos entrevistados concordam totalmente e 24% parcialmente com a afirmação “sinto-me constantemente vigiado por meio das redes sociais”.

 

O conteúdo completo do estudo pode ser conferido na área de Artigos e Insights no site do NiMD FAAP, disponível no link http://www.faap.br/nimd/.


COMPARTILHE

COMPARTILHE

Apesar de ganharem o cotidiano dos brasileiros, as redes sociais são consideradas um dos meios menos confiáveis por seus usuários. Eles também concordam que as utilizam por muito mais tempo do que é considerável saudável ou adequado, servindo para estimular um vício e alimentar uma carência. As informações constam no mais novo estudo do Núcleo de Inovação em Mídia Digital da Faculdade Armando Alvares Penteado (NiMD FAAP), desenvolvido em parceria com a empresa de tecnologia MindMiners.

O estudo ouviu 2.500 pessoas que possuem smartphone e seu objetivo foi entender como se dá atualmente a relação das pessoas com as redes sociais, em particular aquelas que já são usuárias assíduas dos meios digitais.

Para isso, o estudo foi dividido em três etapas, cada uma delas com a participação de um grupo de respondentes: foram consideradas mil pessoas para a primeira etapa sobre consumo de informação; mil para a segunda, que buscou compreender como as redes sociais interferem no processo de influência e confiança que o usuário estabelece com diferentes personagens sociais, especialmente os influenciadores digitais; e, por fim, 500 respondentes para a abordagem sobre o comportamento, ou seja, entender como plataformas de redes sociais estão interferindo na sociedade e, inclusive, afetando sua saúde mental.

 

Consumo de informação

 

A pesquisa indica que há, claramente, uma mudança de comportamento de consumo de informação, uma vez que 80% dos respondentes declararam usar as redes sociais para se atualizar em relação às notícias. A plataforma mais utilizada para essa finalidade é o Facebook, seguida por Instagram e Youtube. O Whatsapp, considerada a rede mais popular entre os brasileiros, principalmente para conversas entre amigos, mantém a quarta posição.

 

Confiança no conteúdo

 

Os canais de televisão – abertos ou fechados – ainda são considerados confiáveis ou muito confiáveis por mais de 64% dos usuários. Já as redes sociais são vistas por 52% dos respondentes como pouco ou nada confiáveis.

A pesquisa também buscou identificar a confiança do usuário em relação às notícias compartilhadas: os influenciadores digitais (ou creators) tiveram apenas 17% de indicações como “confiáveis ou muito confiáveis”. Jornalistas / Veículos de Comunicação, ao contrário, obtiveram índice de 58%, atrás apenas de especialistas e técnicos em determinado tema (71%) e professores (62%).

Apesar de a credibilidade ser baixa em relação ao compartilhamento de notícias, os influenciadores ou creators ainda possuem algo valioso para as marcas, que é a proximidade com as pessoas. E isso também vale para os influenciadores digitais artificiais, que são personagens fictícios ou imagens tridimensionais: 47% das pessoas veem espontaneidade nas publicações e afirmam já ter comprado algum produto baseado na opinião deles.

Quando perguntados sobre canais que mais compartilham notícias falsas, o WhatsApp vem em primeiro lugar, com 45%, seguido pelo Facebook, com 33%. Já o Linkedin foi considerado por 43% dos respondentes como a rede social que possui menos notícias falsas compartilhadas.

 

Comportamento

 

Das 500 pessoas pesquisadas, quase a metade (43%) para sua atividade assim que recebe uma notificação do WhatsApp, Facebook ou Instagram. Além disso, 64% concordam parcialmente ou totalmente que logo após publicar algo nas redes checam ao menos uma vez a quantidade de visualizações ou curtidas – e quem as fez.

Desse mesmo universo, 50% concordam parcialmente ou totalmente com a ideia de estarem usando as redes sociais por mais tempo do que consideram saudável ou adequado e 31% se dizem “muito ansiosos”, ao passo que 56% consideram a sociedade atual “muito ansiosa”.

 

O estudo aponta ainda outros dados interessantes:

 

•41% dos respondentes concordam parcialmente ou totalmente que as curtidas, comentários ou visualizações de suas publicações são importantes para eles;

•48% concordam parcialmente ou totalmente que se sentem próximos das pessoas que seguem nas redes, mesmo não as conhecendo pessoalmente;

•16% dos entrevistados concordam totalmente e 24% parcialmente com a afirmação “sinto-me constantemente vigiado por meio das redes sociais”.

 

O conteúdo completo do estudo pode ser conferido na área de Artigos e Insights no site do NiMD FAAP, disponível no link http://www.faap.br/nimd/.


DATA



CATEGORIA

Desafio Salvador Dalí: Uma exposição surreal na FAAP

Comprar Ingresso

Outras notícias que você também pode gostar

Você está vendo:

Fique por dentro de tudo o que acontece na FAAP

Na FAAP

FAAP sedia mais uma edição do evento “Women in Finance 2024” da plataforma Fin4She 

Nesta terça, 18/06, a FAAP foi o palco da edição 2024 do evento Women in Finance. Organizado pela plataforma Fin4She, o encontro reuniu mulheres líderes do mercado financeiro em uma jornada poderosa que combinou discussões sobre carreira, investimentos, networking e tendências de mercado. O principal objetivo do evento foi promover a equidade de gênero, diversidade, empregabilidade e independência financeira feminina. O evento foi oficialmente aberto com o discurso da Srᵃ Pilar Guillon Liotti, conselheira do MAB FAAP e contou com uma homenagem especial à Srᵃ Celita Procopio de Carvalho, Presidente do Conselho de Curadores da FAAP, como “Mulher do Ano”.  A Srᵃ Pilar Guillon Liotti, abriu o evento reafirmando a importância da liderança feminina para a FAAP: “Quero cumprimentar minha Mãe, Celita Procopio de Carvalho, Presidente do Conselho de Curadores da FAAP, mulher que me inspira todos os dias. Comprimento também a CEO da Fin4She, Carolina Cavenaghi, por essa incrível iniciativa, e, em seu nome, estendo meus cumprimentos às demais mulheres aqui presentes, é um prazer que me enche de emoção e responsabilidade dividir com vocês essa noite tão memorável. E, sem dúvida, o melhor lugar para recebê-las é aqui na FAAP. A fundação sempre foi liderada por mulheres à frente do seu tempo, dedicadas a transformar o Brasil e o mundo numa verdadeira história contemporânea e eu tenho o privilégio de continuar esse legado. Assim como eu, sintam-se em casa.”   Além disso, a Presidente do Conselho de Curadores da FAAP, Sra. Celita Procopio de Carvalho, foi homenageada como Mulher do Ano. Esta homenagem destacou a dedicação e contribuições significativas de Dona Celita no fortalecimento do protagonismo feminino. “É um prazer estar aqui com as senhoras para celebrar mais um momento tão significativo na minha jornada de trabalho pela educação e cultura do nosso país. Como Presidente do Conselho de Curadores desta Fundação, agradeço sensibilizada o prêmio recebido, em nome de todas as mulheres que lideraram nossa instituição” afirmou Celita.  Fin4She é uma plataforma dedicada a conectar e impulsionar mulheres, com uma abordagem que vai além das finanças, abrangendo inteligência por meio de programas especializados e networking em eventos exclusivos.   A FAAP foi, pela segunda vez, palco deste evento transformador que inspirou e capacitou mulheres a alcançar novos patamares no mundo das finanças. Com uma programação rica e diversa, o evento reafirmou a missão da Fin4She e da FAAP de promover a equidade de gênero no mercado financeiro e profissional como um


Na FAAP

Pesquisa do NiMD da FAAP mostra que os perfis com mais interações não são de influenciadores digitais

O Núcleo de Inovação e Mídia Digital da FAAP (Fundação Armando Alvares Penteado) anuncia a publicação da mais recente edição do relatório Mídias Sociais 360º (#MS360FAAP), uma análise abrangente do comportamento dos usuários nas plataformas Facebook e Instagram, realizada em parceria com a Emplifi, empresa referência na área de Customer Experience. Esta edição do relatório oferece uma visão detalhada sobre a dinâmica das interações e do engajamento nas redes sociais, destacando a estabilidade no número de seguidores das páginas do Facebook e evidenciando sua boa performance como plataforma para vendas online, com a categoria de E-Commerce liderando em termos de interações. Já no Instagram, conteúdos relacionados a Esporte, Mídia e Entretenimento emergem como os mais engajadores, sugerindo uma alta capacidade de atração de usuários interessados nesses temas. Uma análise comparativa entre o quadro de Mediana de Interações por Página no Facebook e o quadro da Mediana de Interações por Perfil no Instagram revela, apesar das métricas distintas, uma clara superioridade do Instagram no que se refere à capacidade de engajar seus usuários nos perfis da plataforma. O quadro da Mediana de Fãs por Página pode ser uma ferramenta valiosa para as marcas notarem que, nas redes sociais, existe um interesse maior em conteúdos de categorias como Influenciadores (495 mil fãs), Mídia (258 mil fãs), Comunidades (198 mil fãs) e Entretenimento (189 mil fãs). “Estes dados mostram que páginas das categorias de Influenciadores, Mídia, Comunidades e Entretenimento representam áreas nas quais as marcas poderiam alinhar seu conteúdo, seja marcando presença nessas páginas ou incorporando esses temas às suas páginas institucionais”, explica o Prof. Adriano Cerullo, professor do curso de Publicidade e Propaganda da FAAP. Influenciadores possuem mais seguidores, mas Esportes geram mais interações O relatório reforçar aquilo que vemos no dia a dia: a categoria de Influenciadores no Instagram, tem uma mediana de seguidores significativamente maior em comparação com outras categorias. Esta tendência sublinha o papel central dos influenciadores digitais e celebridades na dinâmica de interações e engajamento na rede. Contudo, os dados apresentados neste relatório sobre o Instagram, referentes ao primeiro trimestre do ano, indicam que o tema Esporte liderou em termos de interações dos usuários, alcançando 330 mil interações. Este destaque sugere uma alta capacidade de engajamento e interesse dos usuários por conteúdos relacionados a atividades esportivas. Seguindo Esporte, a categoria Mídia, com 289 mil interações, demonstra sua força em gerar conversas e reações, sublinhando a importância das notícias e do jornalismo no estímulo ao diálogo e à interação na plataforma. Os temas de Entretenimento, por sua vez, também mostram um desempenho significativo, com 181 mil interações, evidenciando o interesse contínuo dos usuários por conteúdo diversificado que inclui cultura, lazer e diversão. Esta análise revela oportunidades estratégicas para as marcas. “A integração de temas de Esporte, Mídia e Entretenimento em seus perfis, ou a adoção de estratégias de colaboração com perfis influentes dessas categorias, pode ser uma abordagem eficaz para capturar a atenção e o interesse dos usuários”, comenta o professor Eric Messa, coordenador do Núcleo de Inovação em Mídia Digital da FAAP. O relatório completo está disponível para download no link: https://www.faap.br/ms360faap Sobre o NIMD-FAAP O Núcleo de Inovação em Mídia Digital (NiMD) da FAAP, criado em 2013, tem como finalidade capacitar os profissionais da área, oferecer conhecimento prático aos estudantes de comunicação e ao público interessado no assunto e, especialmente, compartilhar com o mercado estudos e reflexões. A proposta é fomentar a evolução da linguagem digital e a comunicação entre marcas e seus consumidores. Sobre a Emplifi A Emplifi é a plataforma unificada líder global em Customer Experience, que reúne marketing, atendimento ao cliente e comércio social para ajudar as empresas a oferecer excelência em atendimento ao cliente. Mais de sete mil marcas no mundo, entre elas McDonald’s, Ford Motor Company e Delta Air Lines, confiam na plataforma para fornecer a seus clientes experiências excepcionais em cada ponto de contato. Para obter mais informações visite


MAB FAAP

MAB FAAP inaugura exposição “Reverberações Surrealistas” com 137 obras de 87 artistas

O Museu de Arte Brasileira da FAAP (MAB FAAP) abrirá suas portas para a exposição Reverberações Surrealistas no dia 25 de junho, terça-feira, até 29 de setembro de 2024. A mostra, inspirada no movimento surrealista, será realizada na sala Annie Alvares Penteado e apresentará 137 obras de 87 artistas, todos com influência do surrealismo. As obras dialogam com a exposição Desafio Salvador Dalí, em cartaz também no MAB. A curadoria é de Laura Rodríguez, graduada e pós-graduada pela FAAP. Trabalha com o MAB desde 2004, e assumiu a Coordenadora de Curadoria e Acervo do museu em 2018. “O MAB FAAP decidiu esse ano homenagear os 100 anos do Manifesto Surrealista. Além de sediar no Brasil o Desafio Salvador Dali, uma mostra abrangente sobre a obra do artista espanhol, apresenta agora uma seleção de obras do seu acervo, que denotam uma influência ou afinidade com esse movimento vasto e importante da história da arte mundial”, afirma a curadora. Núcleos Expositivos: Surrealismo entre os Modernistas: Apresenta obras que incorporam características do movimento surrealista, com alguns artistas que estiveram na Europa entre os anos 1920 e 1940, trazendo os ideais do movimento ao Brasil. Realismo Mágico: Neste núcleo serão exibidas pinturas alemãs com características surrealistas. Com obras dos artistas Walter Lewy, Hein Heckroth e Heinz Kühn, além de artistas que participaram do Realismo Mágico no Brasil, como Wesley Duke Lee. Grupo Phases: Movimento francês dos anos 1950 que chegou ao Brasil na década seguinte. O grupo defendia a expressão livre e gestos espontâneos associados aos imaginários mágico e folclórico. Além disso, destacavam a produção de crianças, pessoas com doenças mentais, povos não ocidentais e artistas populares. Entre os artistas deste núcleo, estão Fernando Odriozola, Flávio Shiró, Bernardo Cid, Wesley Duke Lee e Bin Kondo. Paisagens Metafísicas: Obras que remetem à vertente desenvolvida pelos italianos Giorgio de Chirico e Carlo Carrà na década de 1910. Inclui obras de Cecília Suzuki, Flavio Bassani, Isabel Pons, Eduardo Iglesias, Luiz Paulo Baravelli, Lula Cardoso Ayres e Sergio Vaz de Almeida Christovão. Sonhos e Fabulações: Núcleo que explora o mundo onírico incorporado pelo surrealismo. Obras de Marcello Grassmann, Roberto Magalhães e Guilherme de Faria são destaques. Fotografia Surreal: Fotografias com efeitos fantasiosos e elementos do surrealismo. Artistas como Amanda Mei, Klaus Mitteldorf e Mario Cravo Neto estão presentes. Cartazes de Cinema Surrealista: Apresenta cartazes de filmes da coleção da Filmoteca FAAP, incluindo títulos como “Medo e Delírio” de Terry Gilliam, “O Homem Elefante” de David Lynch, “A Forma da Água” de Guillermo del Toro, “Terras” de Maya Da-Rin, entre muitos outros. Ficções Contemporâneas: Obras contemporâneas que dialogam com a fantasia e a invenção fabulosa. Entre os artistas, estão Guilherme de Faria, Genietta Varsi, e Guerreiro do Divino Amor, artista suíço-brasileiro. Alguns artistas presentes estiveram na Residência Artística FAAP – São Paulo. Serviço Visitação: de 25 de junho, terça-feira, a 29 de setembro de 2024 Sala Annie Alvares Penteado MAB FAAP Endereço: Rua Alagoas, 903 – Higienópolis Horário de funcionamento: De terça-feira a domingo, das 9h às 20h (acesso até 19h30) Fechado às segundas-feiras, inclusive quando feriado Entrada

Fique por dentro de tudo o que acontece na FAAP

Newsletter